sábado, 30 de maio de 2020

TOP CHÁ ANDRA ONLLY


TATIANA HILUX - A Miss Gay Maraponga é a minha convidada dessa semana. Acompanhe nosso chat... Andra, me fala como foi participar da primeira edição do New Face Dragon?
ANDRA -  Primeiramente quero agradecer a esse convite maravilho de ser entrevistada por você. Participar da primeira edição do New Face Dragon foi maravilhoso, eu já tinha costume de fazer shows e o new face me deu a oportunidade de mostrar o meu trabalho a quem ainda não conhecia. Inclusive penso em participar de outras edições futuras.

HILUX - Em 2018 vc ganhou duas vagas para o Miss World Brasil. Conta como foi esse momento da sua carreira.

ANDRA -  Bem em 2018 foi quando eu resolvi me desafiar ao entrar no mundo das misses que totalmente diferente do que eu fazia e no meu primeiro concurso de beleza que foi o Miss G Meireles eu me senti lisonjeada em ter ficado no Top 3 onde ganhei a primeira faixa de Miss World e no outro concurso que foi outra tentativa chegando ao Top 2 e recendo mais uma faixa de Miss World que foi onde ganhei duas vagas para o Miss World Brasil representando estados deferentes e pra mim eu não pensei duas vezes que eu iria representando o primeiro que ganhei que não seria mais justo pois você que era minha coordenadora e mesmo antes de ser me deu muitos conselhos e ajudou muito! Agradeço novamente tudo que fez por mim. Deu um UP gigante eu tão nova no mundo miss e já ir pra fora do nosso estado participar de um concurso de beleza e foi uma grande realização pois amadureci bastante que foi o que fez me tornar uma miss!

HILUX - Drag, DJ, maquiadora e miss... você é uma artista versátil, né... Qual dessas atividades mais te faz feliz?

ANDRA -  A que me faz mais feliz?  Nossa rsrs bem eu não tenho como escolher uma pois todas acabam englobando a ARTE e é isso que eu amo, fazer a ARTE e todas que faço me deixa próximo com meu público a qual sou muito grata!

HILUX - Como você se posiciona perante às responsabilidades de uma miss?

ANDRA -  Bom, eu não sou de seguir “padrões”, gosto de reinventar e me desafiar sempre. As pessoas têm uma mania feia de achar que MISS é somente um rosto bonito para estar postando foto direto, miss vai muito além de beleza e sim um conjunto da obra! Temos que ter carisma, humildade e empatia com o próximo, buscar ser um exemplo e honrar a sua faixa e coroa a qual foi tão almejada por você que conquistou e pela as outras meninas que estavam no dia com você.
Sobre minhas responsabilidades, bem muita coisa eu já fazia e sigo fazendo todas as minhas responsabilidades só dei uma parada por conta da pandemia que estamos vivendo.
Antes de ser Miss que é ajudar o próximo sempre eu já fiz e organizei com amigos algumas ações! Bem e se tudo der certo irei fazer um projeto novo! Aguardem.
Entendam também que Miss é um SER HUMANO e não um robô!

HILUX - Obrigada por sua atenção e disponibilidade. Digite duas considerações finais, por favor...

ANDRA - Quero agradecer imensamente de coração novamente a você que tira um pouco do seu tempo Tatiana enaltecendo os artistas locais e sempre buscando deixar em alta! Aos leitores, já perdi um familiar pra esse Vírus então respeitem a Quarentena e fiquem em casa! Não queiram sentir essa dor horrível e nem proporcionar essa dor ao familiar seu! Se cuide e em breve todos estaremos juntos! Um BEIJO DA MISS GAY MARAPONGA.

INSTITUTO BRASIL-ISRAEL CONDENA USO DE REFERÊNCIAS NAZISTAS PELO GOVERNO BOLSONARO

Na luta aberta que estamos assistindo entre o poder executivo e o poder judiciário, alusões ao nazismo apareceram novamente na cena pública brasileira. Dessa vez, em jogo reverso.
Como todos sabem, ministros do governo federal têm sido criticados por trazerem à tona discursos que se assemelham ao nazismo, em forma e conteúdo. Em meados de janeiro, o ex-secretário de cultura Roberto Alvim divulgou um vídeo emulando a estética e o discurso de Joseph Goebbels; e ainda este mês, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência (Secom) publicou uma variação da frase escrita nos portões do campo de concentração de Auschwitz: “O trabalho liberta”.
Agora, invertendo as acusações, membros do executivo nacional e aliados de Bolsonaro reagem ao inquérito das Fake News do STF tratando seus ministros como nazistas.
Entre ontem e hoje, para citar alguns exemplos:
[1] Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, investigado por disseminação de fake news e ataques à instituições nas redes sociais, se referiu ao STF como o Tribunal do Terceiro Reich, instituído por Hitler.
[2] Abraham Weintraub, ministro da educação, fez alusão à caça aos judeus pelos nazistas para se referir à ação da PF iniciada a partir da determinação do STF. Segundo ele, o dia de hoje será lembrado como a “Noite dos Cristais” brasileira.
[3] Allan do Santos, jornalista do Terça Livre e alvo da mesma operação da Polícia Federal, compara o Ministro Alexandre de Moraes a Hitler.
É risível e trágico: aqueles que incorporam a linguagem e a estética nazista agora acusam os outros da mesma coisa para se vitimizarem.
Apenas parem. Vocês ofendem a memória das verdadeiras vítimas do nazismo e não enganam ninguém.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

PIXAR LANÇA PRIMEIRO FILME COM PROTAGONISTA GAY

Out, novo curta-metragem da Pixar, é o primeiro filme do estúdio com protagonista gay. A produção, cuja estreia aconteceu na última sexta, 22, no Disney+, conta a história de Greg, jovem que decide morar com o namorado mas precisa assumir a sexualidade para a família.
Steven Clay Hunter, de Toy Story 4 e Procurando Dory, escreveu e dirigiu o curta-metragem, que foi produzido por Max Sachar. A produção marca a primeira vez na qual a Pixar apresenta um personagem gay no papel central da trama. 
No filme, o jovem conta com a ajuda da magia gato e um cachorro de estimação. Greg troca de corpo com o canino, tentando esconder da família - e apesar dos fatores fantásticos, a história foca nos sentimentos de mãe e filho. 
Pixar é propriedade da Disney, portanto, o curta de cerca de 10 minutos estreou na sexta, 22, na plataforma de streaming da empresa, o Disney+. Assista ao trailer da produção, elogiada nas redes sociais pela iniciativa do protagonista gay: 

MORREU LARRY KRAMER, ATIVISTA GAY E PIONEIRO DA LUTA CONTRA A AIDS

Larry Kramer, ativista americano pelos direitos dos homossexuais, cujas ações e escritos ousados denunciaram a apatia do governo de seu país frente à crise da aids nos anos 80, morreu nesta quarta-feira, aos 84 anos.
"Descanse em paz, nosso lutador Larry Kramer. Sua ferocidade ajudou a inspirar um movimento. Seguiremos honrando o seu nome e espírito com ações", tuitou a Aids Coalition to Unleash Power (ACT UP), uma das organizações fundadas por Kramer quando o vírus HIV fazia estragos entre a comunidade gay, no fim do século XX.
Segundo o jornal "New York Times", que cita o marido de Kramer, David Webster, o ativista morreu de pneumonia. Ele sofria de várias doenças, era HIV positivo e se submeteu a um transplante de fígado em 2001.
Em 1981, Kramer fundou a Gay Men's Health Crisis, primeira organização de apoio a portadores do vírus HIV, mas a abandonou um ano depois, devido a conflitos com os demais organizadores.
Em 1987, fundou a Act Up, com a qual liderou manifestações e grandes ações, como invasões surpresa a repartições públicas, à Bolsa de Nova York e até à igreja de St. Patrick durante uma missa, para tentar convencer líderes americanos a combaterem a aids.
A escritora Susan Sontag o classificou como "um dos perturbadores mais úteis dos Estados Unidos". "Milhões de pessoas estão vivas graças a Larry Kramer, incluindo eu", tuitou após a sua morte Corey Johnson, presidente do Conselho Municipal de Nova York, que é homossexual. "Ele não era a pessoa mais fácil e graças a Deus por isso. Era um heroi e se tornou meu amigo."
Nascido em 25 de junho de 1935, em Bridgeport, Connecticut, Kramer formou-se na Universidade de Yale, em 1957, e alistou-se no Exército. Fez uma incursão pelo cinema e trabalhou, em Londres, nos roteiros de "Dr. Fantástico" e "Lawrence da Arábia". Era conhecido como um roteirista provocador e, em 1971, foi indicado ao Oscar por sua adaptação do romance de D.H. Lawrence "Mulheres Apaixonadas".
Em seguida, Kramer começou a escrever sobre a homossexualidade e, em 1978, publicou seu primeiro romance, "Faggots". No começo dos anos 1980, foi um dos primeiros ativistas a reconhecer que a aids era uma doença letal que poderia se propagar e matar milhões de pessoas no mundo, não importando seu gênero.
Embora a retórica dura e o estilo combativo de Kramer afastassem alguns, ele canalizou sua fúria com a resposta quase inexistente do governo americano à crise da aids em um ativismo urgente, que transformou o sistema de saúde pública dos Estados Unidos.
"Na medicina americana, há duas eras: antes de Larry e depois de Larry", disse Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas e líder da luta do governo contra a pandemia do novo coronavírus, à revista "The New Yorker", em 2002.
Entre os escritos de Kramer mais conhecidos está "The Normal Heart", peça teatral de 1985 que condenava a falta de ação de dirigentes frente à aids e que recebeu três prêmios Tony em 2011, antes de ser adaptada para o cinema.
Fonte:AFP

CANAL BRASIL TERÁ PROGRAMAÇÃO ESPECIAL PARA CELEBRAR O MÊS DO ORGULHO LGBT; CONFIRA

Em junho é comemorado mundialmente o Mês do Orgulho LGBT. E o Canal Brasil elaborou uma programação especial para celebrar a diversidade de pontos de vista e vivências.
Filmes, séries, talk shows e outros programas de não ficção compõem a variada e colorida grade do canal. Confira abaixo.
PROGRAMA
TransMissão
Estreia segunda temporada
Horário: segunda, dia 1º de junho, à 0h
Rebatidas: quinta, dia 04/06, às 5h15; e domingo, dia 07/06, às 6h45
Classificação 12 anos
Sinopse: Linn da Quebrada e Jup do Bairro, duas plurais artistas trans, comandam um talk show irreverente sobre questões de gênero, sexo e raça, além de outros temas do cotidiano.

ESPECIAL ORGULHO LGBTQI+
De 05/06 a 28/06
Horário: sextas, sábados e domingos, às 23h10
Rebatidas: terças, quartas e quintas, às 4h

Rogéria: Senhor Astolfo Barroso Pinto (2018) (82’)
Inédito e exclusivo
Horário: sexta, dia 5 de junho, às 23h10
Rebatida: terça, dia 09/06, às 4h
Classificação: 14 anos
Direção: Pedro Gui
Sinopse: O documentário conta a vida e a trajetória artística de Rogéria a partir da dualidade entre artista e personagem. Passando por todos os momentos da vida da transformista, o filme mescla dramatizações de etapas de sua vida e depoimentos de artistas brasileiros, como Betty Faria, Jô Soares e Bibi Ferreira.

Como Você É (2016) (105’)
Horário: sábado, dia 6 de junho, às 23h10
Rebatida: quarta, dia 10/06, às 4h
Classificação: 16 anos
Direção: Miles Joris-Peyrafitte
Elenco: Owen Campbell, Charlie Heaton, Amandla Stenberg e Scott Cohen
Sinopse: A releitura de uma relação entre três adolescentes, enquanto a trajetória da amizade é construída através das lembranças revividas e desencadeadas por uma investigação da polícia.

Praia do Futuro (2014) (106’)
Horário: domingo, dia 7 de junho, às 23h10
Rebatida: quarta, dia 11/06, às 4h
Classificação: 14 anos
Direção: Karim Aïnouz
Elenco: Wagner Moura, Jesuíta Barbosa e Clemens Schick
Sinopse: Indicado ao Urso de Ouro no Festival de Berlim, o filme monta um dos mais belos cartões-postais de Fortaleza, capital cearense e cidade natal de Karim Aïnouz. A coprodução entre Brasil e Alemanha venceu na categoria Melhor Ator Coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e se destacou em Havana (Cuba), Milão (Itália) e San Sebastian (Espanha).

Flores Raras (2013) (118’)
Horário: sexta, dia 12 de junho, às 23h10
Rebatida: terça, dia 16/06, às 4h
Classificação: 14 anos
Direção: Bruno Barreto
Elenco: Gloria Pires, Miranda Otto e Tracy Middendorf
Sinopse: A história de amor entre a poeta Elisabeth Bishop e a arquiteta Lota de Macedo Soares. O longa acompanha a história dessas duas grandes mulheres e suas trajetórias inversas.

Bixa Travesty (2018) (75’)
Horário: sábado, dia 13 de junho, às 23h10
Rebatida: quarta, 17/06, às 4h
Classificação: 18 anos
Direção: Kiko Goifman e Claudia Priscilla
Elenco: Linn da Quebrada e Jup do Bairro
Sinopse: Vencedor de prêmios na Espanha, França, Canadá e Itália, o filme recebeu ainda indicações ao Teddy no Festival de Berlim e ao Candango de melhor filme no Festival de Brasília. Linn da Quebrada é uma figura de ares revolucionários por diversos espectros. Cantora e ativista trans, e apresentadora do programa “TransMissão”, ao lado de Jup do Bairro, faz de sua arte e da própria vida um ato político e libertário para a militância LGBTQ+. O documentário coproduzido pelo Canal Brasil em parceria com a Válvula Produções tem a performer como ponto central de uma discussão ampla sobre identidade de gênero, homofobia, fluidez sexual e padrões sociais, tudo isso a partir de uma mescla de momentos que vão desde a vida privada e caseira da artista, encenações em banheiros e saunas até os espetáculos extravagantes por ela realizados.

As Boas Maneiras (2017) (135’)
Horário: domingo, dia 14 de junho, às 23h10
Rebatida: quinta, 18/06, às 4h
Classificação: 16 anos
Direção: Juliana Rojas e Marco Dutra
Elenco: Marjorie Estiano, Isabél Zuaa e Miguel Lobo
Sinopse: Clara, uma enfermeira da periferia de São Paulo, é contratada pela rica Ana, para ajudá-la com a gravidez e depois com o bebê. Elas se tornam muito próximas, até que tudo muda numa noite de lua cheia.

Tangerina (2015) (88’)
Horário: sexta, dia 19 de junho, às 23h10
Rebatida: terça, dia 23/06, às 4h
Classificação: 16 anos
Direção: Sean Baker
Elenco: Kitana Kiki Rodriguez, Mya Taylor, Karren Karagulian e James Ransone
Sinopse: Vencedor do prêmio Felix no Festival do Rio e indicado ao prêmio de revelação no Festival de Sundance. Sin-Dee é uma prostituta e travesti dos arredores de Tinseltown, um distrito violento de Los Angeles. Recém-saída da prisão, a protagonista se reúne com a melhor amiga, Alexandra, e descobre ter sido traída por Chester, seu namorado e cafetão, durante o período no cárcere. Em plena noite de Natal, a personagem sai em uma busca desenfreada pelo homem e, com doses de humor, passa pelo submundo das drogas e do preconceito que se escondem do lado obscuro de Hollywood.

Tinta Bruta (2018) (118’)
Horário: sábado, dia 20 de junho, às 23h10
Rebatida: quarta, dia 24/06, às 4h
Classificação: 18 anos
Direção: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Elenco: Shico Menegat, Guega Pacheco e Bruno Fernandes
Sinopse: Vencedor dos Redentores de Melhor Filme, Roteiro, Ator e Ator Coadjuvante no Festival do Rio, além de dois troféus no Festival de Berlim: o prêmio Teddy e o Prêmio de Cinema de Arte. O filme traz à tona o tema da diversidade sexual e acompanha o cotidiano de um jovem tímido que, ao enfrentar um momento de crise, realiza shows eróticos privados em sua própria casa para grupos na Internet como forma de se libertar dos demônios pessoais.

Tatuagem (2013) (110’)
Horário: domingo, dia 21 de junho, às 23h10
Rebatida: quinta, dia 25/06, às 4h
Classificação: 16 anos
Direção: Hilton Lacerda
Elenco: Irandhir Santos e Jesuíta Barbosa
Sinopse: O premiado filme se passa em Recife, em 1978, época de grande censura do regime militar a manifestações culturais tidas como subversivas. Na periferia, Clécio lidera o grupo teatral Chão de Estrelas, uma trupe de artistas libertários cujos integrantes interpretam uma atração extravagante e de estética contracultural típica do fim da década de 70. Encenadas em um tablado mambembe para um pequeno público, as peças são carregadas de versos e danças debochados, sarcásticos e anárquicos, com muita nudez e humor. Não muito distante dali, Fininha serve em um quartel como soldado e sofre intimidações de colegas por uma suposta homossexualidade. O recruta é enviado à casa de espetáculos para entregar uma encomenda a Paulette e tem início uma paixão fulminante e revolucionária com o protagonista. Destaque no Festival do Rio nas categorias Melhor Filme de Ficção pelo júri popular, Ator, Ator Coadjuvante, Prêmios Fipresci e Especial do Júri em Ficção. Já no Festival de Gramado, ganhou os Kikitos de Melhor Longa-metragem, Ator e Trilha Musical.

Mr. Leather (2019) (84’)
Inédito e exclusivo
Horário: sexta, dia 26 de junho, às 23h10
Rebatida: terça, dia 30/06, às 4h
Classificação: 18 anos
Direção: Daniel Nolasco
Sinopse: O documentário acompanha a segunda edição do concurso Mr. Leather Brasil, cujos participantes são Dom PC, Kake, Deh Leather e Maoriguy. O campeão recebe o prêmio pelas mãos de Dom Barbudo, o primeiro Mr. Leather do país, e terá como tarefa divulgar a cultura do couro durante o próximo ano.

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014) (94’)
Horário: sábado, dia 27 de junho, às 23h15
Rebatida: quarta, dia 01/07, às 4h
Classificação: 12 anos
Direção: Daniel Ribeiro
Elenco: Ghilherme Lobo, Tess Amorim e Fabio Audi
Sinopse: Leonardo, um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir.

Divinas Divas (2016) (110’)
Horário: domingo, dia 28 de junho, às 23h10
Rebatida: quinta, 02/07, às 4h
Classificação: 14 anos
Direção: Leandra Leal
Elenco: Rogéria, Valéria, Jane Di Castro, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína, Marquesa e Brigitte de Búzios
Sinopse: A coprodução do Canal Brasil, eleita pelo público do Festival do Rio como melhor documentário e vencedora da categoria melhor filme por votação popular no Festival South By Southwest (EUA), resgata a história da primeira geração de artistas travestis a fazer sucesso na agitada cena cultural do Rio de Janeiro. As protagonistas relembram como descobriram a vocação para o canto e o teatro, os exagerados figurinos dos primeiros espetáculos e a influência dos shows de vedetes realizados na década de 50 nos teatros Carlos Gomes e João Caetano. Os depoimentos são intercalados com imagens de arquivo, entre vídeos, fotos e capas de revista, bastidores da preparação do novo espetáculo, ensaios e narrações da própria diretora ao lembrar sua infância convivendo ao lado dessas divas.

DOCUMENTÁRIO
Como Somos (2019) (80’)
Inédito e exclusivo
Horário: segunda, dia 1º de junho, às 18h50
Rebatidas: quarta, dia 03/06, às 17h; e terça, dia 09/06, às 11h40
Classificação: 14 anos
Direção: Rafael Botta
Sinopse: O Brasil é o país que mais mata a população LGBT no mundo. Diante disso, o documentário propõe uma reflexão sobre diversos assuntos, como identidade de gênero, transexualidade, saúde, religião e psicologia.

DOCUMENTÁRIO
Carta Para Além dos Muros (2019) (94’)
[É Tudo Verdade]
Inédito e exclusivo
Horário: quarta, dia 03/06, às 20h
Rebatidas: quinta, dia 04/06, às 18h10; sexta, dia 05/06, às 15h25; e domingo, dia 07/06, às 11h10
Classificação: 12 anos
Direção: André Canto
Sinopse: A trajetória histórica da AIDS no imaginário brasileiro, desde a epidemia que tomou o mundo e deixou milhares de vítimas nas décadas de 1980 e 1990, até os dias atuais. O filme propõe uma reflexão sobre a evolução dos tratamentos e os desafios e estigmas ainda enfrentados por portadores de HIV a partir de entrevistas com médicos, pacientes, autoridades e representantes de movimentos conscientizadores.

SÉRIE
Maratona Toda Forma de Amor
Horário: domingo, dia 28/06, à 0h45
Rebatida: segunda, dia 29/06, às 19h30
Classificação: 16 anos
Direção: Bruno Barreto
Elenco: Gabrielle Joie, Wallie Ruy, Guta Ruiz, Romulo Arantes Neto, Juan Alba, Eucir de Souza, Christiana Ubach, Daniel Infantini, Otavio Martins e Alexandre Cioletti
Sinopse: A série aborda de forma corajosa e direta o universo LGBTQI+. O roteiro original de Marcelo Pedreira apresenta múltiplas possibilidades de afeto entre personagens de sexualidade fluida, numa história que tem ainda, como pano de fundo, uma sequência de assassinatos.