quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

CONHEÇA A TRIBO ETORO, AONDE OS HOMENS SÃO GAYS E O SÊMER É SINÔNIMO DE PODER


A tribo Etoro vive na ilha de Papua, localizada na Nova Guiné. O grupo é composto por um total de aproximadamente 400 pessoas envolvidas na caça e na agricultura. Como qualquer outra tribo, eles têm seu sistema de crenças, ritos e práticas relacionadas ao amadurecimento e à passagem para a vida adulta.
Sua cultura apresenta uma grande riqueza, embora os Etoro se caracterizem por promover práticas homossexuais entre homens, relegando os heterossexuais apenas à procriação e continuação da espécie.

Essa tribo apresenta uma concepção um tanto particular sobre sexualidade. Entre algumas de suas crenças, destaca-se o significado que dão ao sêmen. De acordo com suas crenças, o sêmen não é literalmente criado pelo próprio corpo, mas os jovens devem ser inseminados por outros homens na idade adulta para serem mais viris.

Além disso, eles acreditam que as mulheres devem receber o sêmen de outros homens na boca após o parto, para que possam produzir leite materno de qualidade para os recém-nascidos.

O sêmen no centro de tudo

Segundo o Etoro, o sêmen apresenta uma importância vital. É por isso que os meninos de 12 anos adquirem uma espécie de guardião (homem adulto) com quem devem morar juntos. Este tutor fornecerá conhecimentos sobre caça, cultivo e também inseminará o jovem diariamente para ganhar vitalidade e vigor.

Esses jovens devem passar um tempo isolados com seus homens adultos em um território restrito às mulheres e ao qual eles não podem acessar sozinhos. Não até a idade de 20 anos quando o jovem se torna um homem adulto como tal. Nesta idade, eles passam de inseminados a inseminadores. Para que esse jovem se torne adulto, todos os homens maduros devem ejacular simultaneamente em sua boca.

Fonte:thestonewall.es

Nenhum comentário:

Postar um comentário