quarta-feira, 26 de junho de 2019

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DA XX PARADA PELA DIVERSIDADE SEXUAL DO CEARÁ



A XX Parada LGBT do Ceará, aconte domingo, mas Fortaleza 
Na quinta-feira (27/06), o Parque da Liberdade (Rua Pedro I, s/n – Centro) receberá, das 8h às 18h, o Balcão da Cidadania LGBT e a Feira Empreendedora LGBT, com diversos serviços para a população LGBT e sociedade em geral, como corte de cabelo, maquiagem, manicure, massoterapia, oficina de turbantes, emissão de documentos (carteira de estudante, RG, CPF, Bilhete Único e Folha corrida), informações sobre os direitos humanos, aferição de pressão e glicemia.

Além disso, a feira tem por objetivo garantir e promover a autonomia econômica de pessoas LGBT, artesãos e empreendedores, oferecendo espaços de comercialização de seus produtos e/ou serviços para a população LGBT e sociedade em geral. Na oportunidade, atrações culturais locais complementarão a programação.

O Ato Show Alusivo ao 28 de Junho será realizado no dia 29 (sábado), na Praia dos Crush, a partir das 17h, e contará com a participação de artistas locais e nacionais, bem como militantes do movimento LGBT e organizações governamentais que apoiam a causa.
O Mês da Consciência LGBT tem seu ápice com a realização da XX Parada pela Diversidade Sexual do Ceará, que acontecerá dia 30 de junho (domingo), a partir das 14h, na Avenida Beira Mar.

Confira abaixo a programação completa. Participe e colabore com a construção da Fortaleza das Diversidades:


26/06– Seminário - Ato Oficial da XX Parada pela Diversidade Sexual no Ceará
Horário: 18h às 22h
Local: Auditório da FETRACE – Fed. Dos Trabs. Empregados/as no Comércio e Serviços do Estado do Ceará ( Rua Padre Mororó, 1055, Centro – Fortaleza).
Realização: Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB
Parcerias: Organizações do Movimento Social LGBT do Estado do Ceará

27/06– Balcão da Cidadania LGBT
Horário: 08h às 17h
Local: Parque da Liberdade (Centro – Fortaleza/CE)
Realização: Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social – SDHDS – Prefeitura Municipal de Fortaleza);
Parcerias: Organizações Governamentais, Prestadores de Serviços e Movimento Social;

27/06 e 29/06 – Feira Empreendedora LGBT
Horário: 08h às 18h
Local: Parque da Liberdade (Centro – Fortaleza/CE) // Praia dos Crush
Realização: Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social – SDHDS – Prefeitura Municipal de Fortaleza);
Parcerias: Empreendedores (as) LGBT

29/06 – Ato Show Alusivo ao 28 de Junho – Dia Municipal da Consciência LGBT
Horário: 17h às 00h
Local: Praia dos Crush
Realização: Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social – SDHDS – Prefeitura Municipal de Fortaleza);

30/06 – XX Parada pela Diversidade Sexual do Ceará
Horário: 13h às 22h
Local: Avenida Beira Mar
Realização: Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB
Parceiros:
Apoio: Prefeitura de Fortaleza e Governo do Estado do Ceará

*DISTRIBUIÇÃO ORIENTADA DE INSUMOS “Fique Sabendo Jovem”.
Distribuição dos insumos de prevenção (preservativos e gel lubrificante) e material educativo, com tira dúvidas tanto sobre o uso dos insumos e prevenção às IST/HIV/Aids e Hepatites Virais quanto sobre os serviços de saúde disponíveis na rede para diagnóstico e tratamento das IST/HIV/Aids e Hepatites Virais
 - 27 de junho (quinta-feira) | Horário: 8h às 18h – (BALCÃO DA CIDADANIA)
Local: Parque da Liberdade - Centro - Fortaleza
 - 29 de junho (sábado) | Horário: 17h às 20h – (PREPARADA|ATO SHOW)
Testes rápidos de HIV e Sífilis - Ônibus do Fique Sabendo Jovem
Local: Praia dos Crush

GOSTARIA DE LEMBRAR QUE O STF ACABOU DE TORNAR CRIME A HOMOFOBIA, AVISOU GLENN APÓS ATAQUES DE DEPUTADO BOLSONARISTA

Durante sessão na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, na terça-feira (25/6), o jornalista Glenn Greenwald esteve prestando informações sobre a VazaJato que tem revelado as ligações criminosas de Sergio Moro e procuradores da operação, como era de se esperar deputados ligados ao governo de Bolsonaro, tentaram desqualificar as revelações que são graves e sobrou acusações falsas e até homofóbicas contra o conceituado jornalista.

 O bolsonarista deputado federal José Medeiros (Podemos-MS), se referiu ao deputado David Miranda (PSol -RJ), marido de Greenwald, como “parceiro sexual”. O deputado ainda acusou Greenwald de crime de receptação de material roubado.

“Gostaria de lembrar ao deputado que o Supremo Tribunal Federal acabou de tornar crime a homofobia, e não é primeira vez que o deputado se refere à minha vida sexual, o que eu acho um pouco estranho e que deve ser examinado. Meu marido é meu marido, independente de qualquer desejo, se você está pensando sobre sexo, sobre nossa vida sexual. Vamos discutir o assunto que viemos tratar aqui", respondeu Greenwald.

Parlamentares que estavam presentes também identificaram a homofobia por parte do bolsonarista Medeiros e após o mesmo insistir em usar os termos homofóbicos, o presidente da Comissão, Helder Salomão, pediu a exclusão do termo "parceiro sexual" e alertou ao deputado que o mesmo estava faltando com o decoro.

CINISMO

O depuatdo José Medeiros, saiu dizendo que não era homofobico e em uma rede social para fazer sensacionalismo, abriu uma enquete perguntando a seus seguidores se tinha sido homofobico e para 78% deles a resposta foi sim. 

ESCOLA É CONDENADA A INDENIZAR CABELEIREIRO VÍTIMA DE HOMOFOBIA

A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) mandou uma escola de Florianópolis indenizar em R$ 5 mil um cabeleireiro que foi vítima de ataque homofóbico por parte de alunos quando participou como jurado de uma gincana na unidade de ensino. O evento ocorreu em agosto de 2013. A decisão judicial é do dia 4 de junho e foi divulgada nesta quinta-feira (6).
Para o Poder Judiciário, a escola permitiu que os estudantes fizessem os ataques de cunho homofóbico.
Conforme a ação, o cabeleireiro foi convidado como jurado numa prova de gincana chamada “penteado maluco”, na qual os alunos tinham que apresentar cortes de cabelo vanguardistas. Após avaliar os candidatos, o jurado deu o resultado ao professor que coordenava o concurso e responsável pelo anúncio do vencedor. Naquele momento, integrantes das equipes descontentes com o resultado começaram a gritar “bicha”.
No processo, o cabeleireiro disse sofreu abalo psicológico por causa do ocorrido e pelo descaso da instituição de ensino, que não agiu para interromper as ofensas, e que por essa razão entrou com a ação judicial.
Na primeira instância, a Justiça negou o pedido da vítima. Para o juiz, parte das testemunhas ouvidas não confirmou o ocorrido. Ele entendeu ainda que a eventual responsabilidade pela ação dos estudantes seria dos pais, não do estabelecimento de ensino.
No recurso do TJSC, o relator do caso, desembargador Marcus Tulio Sartorato, apontou que três pessoas que disseram não terem tomado conhecimento dos xingamentos homofóbicos eram funcionárias do colégio. Por esse motivo, o magistrado entendeu que essas testemunhas devem ser tratadas como informantes.
Para o desembargador, com base na doutrina, enquanto o aluno está no estabelecimento de ensino, este responde pelos atos ilícitos praticados pelo estudante a terceiros ou a outro educando.
O desembargador considerou ainda que o cabeleireiro sofreu efetivamente danos morais, merecedores de reparo.
“A ofensa motivada por condição pessoal é capaz de atingir as esferas mais íntimas do ofendido, causando-lhe sentimentos de humilhação, de exclusão e de desprezo, e ataca valores estimados não apenas à pessoa a quem se dirigiu a ofensa, senão a toda a sociedade e também ao direito, em cuja base se encontram os imperativos de inclusão, pluralismo e fraternidade”, escreveu o relator no acórdão. A decisão foi unânime.
Fonte:Gay1