sexta-feira, 10 de maio de 2019

PESQUISA MOSTROU QUE DROGAS ANTIRRETROVIRAIS IMPEDIRAM A TRANSMISSÃO DE HIV ENTRE HOMENS

Depois de cientistas terem relatado o segundo caso de cura de aids no mundo, um estudo aponta novos caminhos para a prevenção da doença. Pesquisadores europeus afirmam que o uso de medicamentos antirretrovirais pode evitar a transmissão de HIV durante o sexo entre homens. As informações são do The Guardian.  

O estudo foi realizado por oito anos com mil casais de homens na Europa. O parceiro que tinha HIV recebia tratamento para suprimir o vírus e, mesmo com sexo sem preservativo, não foram registrados casos de transmissão ao parceiro que não tinha HIV. Os pacientes foram selecionados em hospitais e clínicas de mais de 14 países europeus.

Ainda segundo a publicação, 15 homens foram infectados nesse período de análise, mas testes de DNA teria provado que a transmissão aconteceu por meio de relação com outras pessoas e não com o paciente que recebia o tratamento. O estudo foi publicado na revista Lancet na ultima quinta-feira (3). 

Estudos anteriores já tinham mostrado que o tratamento protege casais heterossexuais em que um dos parceiros tenha HIV, mas esse seria o primeiro levantamento que mostra a eficácia do uso dos medicamentos entre homens gays. Com isso, o sucesso do medicamento significa que, se todos os portadores do HIV forem tratados totalmente, não haverá mais infecções.

Em 2017, quase 40 milhões de pessoas no mundo viviam com HIV, sendo que 21,7 milhões estavam em tratamento com antirretrovirais. A descoberta recente reforça a importância dos testes de HIV frequentes, o que poderia acabar com a transmissão do vírus no futuro.

Fonte: GAUCHAZH

É HOMOFOBICO E RACISTA SIM! TJ-RJ MANTÉM CONDENAÇÃO DE BOLSONARO POR HOMOFOBIA E RACISMO


A maioria dos desembargadores da Sexta Câmara Cívil do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decidiu manter condenação do presidente Jair Bolsonaro por declarações homofóbicas e racistas feitas em 2011.
Após a decisão em primeira instância da Justiça do Rio, Bolsonaro entrou com embargos no tribunal. Por três votos a dois, os desembargadores decidiram manter a condenação e a pena aplicada. 
Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 150 mil, por danos morais, ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDDD), do Ministério da Justiça.
Em entrevista ao programa CQC, da Band, Bolsonaro foi questionado sobre o que faria se tivesse um filho gay, e afirmou que isso não aconteceria com ele porque seus filhos "tiveram boa educação".
Em outro momento, perguntado pela cantora Preta Gil sobre como reagiria se um de seus filhos se apaixonasse por uma mulher negra, respondeu: "Eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco. Meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o seu".
Bolsonaro ainda chegou a afirmar que não viajaria em um avião pilotado por um cotista. "Todos nós somos iguais perante a lei. Eu não entraria em um avião pilotado por um cotista, nem aceitaria ser operado por um médico cotista", emendou.
A ação foi movida pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-íris de Conscientização.
Em entrevista à Luciana Gimenez, apresentadora da RedeTV, exibida na última terça, Jair Bolsonaro afirmou que racismo é "coisa rara" no Brasil. "No Brasil é uma coisa rara o racismo. O tempo todo tentam jogar o negro contra o branco", disse.
FONTE: BRASIL 247