O PORTAL LGBTI+ DO CEARÁ

O PORTAL LGBTI+ DO CEARÁ

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

ADVOGADOS LGBT SE TORNAM PROTAGONISTAS EM JULGAMENTO NO STF

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) encarou nesta quarta-feira 13 seu primeiro teste em uma pauta de costumes no contexto nada confortável de um governo conservador e uma oposição preocupada em avançar nos direitos fundamentais. Os ministros começaram a discutir o julgamento de duas ações que visam criminalizar os atos de discriminação e violência contra homossexuais e transexuais e os enquadrar como crime de racismo.

Entidades, frentes parlamentares e instituições presentes puderam se pronunciar contra ou a favor das ações. A votação ficou para esta quinta-feira. Neste primeiro dia de discussão, com casa cheia, sustentações orais foram marcadas por embates entre representantes de entidades religiosas e da comunidade LGBT, que levaram ao plenário a diversidade necessária para discussão da pauta
Três advogados gays, uma advogada lésbica e uma transexual formaram o bloco responsável por fazer a defesa para que o preconceito se torne crime, e ainda fixaram no espaço o lugar de fala LGBT.
Levando consigo as cores da bandeira LGBT, os advogados forneceram aos ministros dados da violência contra essa parcela da sociedade e lançaram mão de tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário, que têm cláusulas de proteção à comunidade LGBT.
A primeira argumentação foi feita por Paulo Iotti, autor das duas ações que foram a julgamento. Ele iniciou ressaltando que era um dos três advogados gays que iriam subir na tribuna.
Em seu discurso, usou a primeira pessoa do plural para exemplificar as violências sofridas pelas pessoas LGBT. Antes do julgamento, Iotti destacou ainda a importância de gays, lésbicas, travestis e transexuais marcarem representatividade na tribuna.
Em seguida, foi a vez dos amicus curiae fazerem suas falas. O primeiro representante de entidade interessada foi Thiago Viana, do Grupo Gay da Bahia (GGB). Ele focou sua fala na inércia da Câmara dos Deputados e fez ataques à bancada evangélica – que estava representada no Plenário.
Em seguida, falou o advogado Alexandre Bahia, do Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual e de Gênero, sobre os tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário, que têm cláusulas de proteção à comunidade LGBT. Os dois, que são gays, também destacaram a representatividade no plenário.
Na mesma linha sustentaram as advogadas Ananda Puchta, lésbica, e Maria Eduarda Aguiar da Silva, representante da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). Esta última falou sobre a violência sofrida por transexuais, dizendo que “a transfobia mata todos os dias” e citando mortes como a de Dandara, travesti que foi agredida e morta a tiros no Ceará em 2017, marcando o primeiro caso do julgado como homicídio por homofobia.
Do outro lado, falaram advogados representantes da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure), e da Frente Parlamentar Mista da Família e de Apoio à Vida, representantes da Bancada Evangélica.
A última participação foi do vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, que chegou a levantar o tom de voz para defender a criminalização da homofobia e da transfobia. “Como pode algo que envolve amor gerar tantos desamores?”, disse. “Quantas mortes serão necessárias para entendermos que já morreu gente demais?”.


CHÁ DAS QUINTAS - XICCA DRAG QUEEN – SUPER DRAG 2019

HILUX - VOCÊ CHEGOU DE MANSINHO E DEU O NOME NO PALCO DO DRAGON. COMO SURGIU A IDEIA PARA O SÁTIRO?

XICCA - A ideia a princípio foi aparentar ser um Alienígena . Tanto que a minha fonte de inspiração foi o próprio clip da música, onde no final do mesmo a cantora (Katy Perry) aparece como se fosse um alienígena híbrido de um humanoide com pernas de Gazela. Daí veio a referência  do Sátiro, que já é popularmente como "Fauno " E seria bem melhor do público entender a intenção da performance.

HILUX - SER COSPLAY É UM MARCO NA SUA TRAJETÓRIA ARTÍSTICA. FALA UM POUCO DO SEU TRABALHO NESSE QUESITO.

XICCA - Sim com certeza. Muito da minha experiência, principalmente da hora de customizar roupas e acessórios eu devo isso graças ao meu primeiro contato com a arte de cosplay, que é uma coisa que eu amo fazer. São artes bem parecidas. Irmãs podemos assim dizer. E pra mim é muito gratificante poder ter esse acúmulo de bagagem e agregar um ao outro. Tanto que eu possuo 2 títulos de melhor cosplay do maior evento do Norte e Nordeste dos anos de 2017 e 2018.

HILUX - DRAGS E AMORES. ALGUMA VEZ VOCÊ PERDEU O NAMORADO QUANDO DISSE QUE FAZIA DRAG?

XICCA - Graças a Deus não.  Acho que pelo fato de eu ser super bem resolvido comigo mesmo.  Ser transparente para com as outras pessoas e também, a sorte de pessoas maravilhosas e igualmente bem resolvidas perto de mim . Inclusive meu ex "namorido" foi quem me ajudou bastante a começar na idealização tanto dos Cosplay's como com minha Drag Queen.

HILUX - SER GAY NOS MOMENTOS ATUAIS NÃO ESTÁ SENDO FÁCIL E NA VERDADE NUNCA FOI. COMO VOCÊ LIDA COM O PRECONCEITO?

XICCA - Realmente hoje em dia ainda não é nada fácil para um homossexual mostrar seu valor é sua voz na sociedade.  A forma como eu me dou com o preconceito é LENDO . Porque a partir do momento que você se informa, pesquisa e está por dentro de várias coisas que acontecem ao seu redor você tem todas as armas precisas para se defender contra pessoas preconceituosas. Ou então você simplesmente ignora, manda um beijinho e sai dando uma rabiçaca kkkkkkkkk.

HILUX - XICCA DRAG QUEEN OU CHICA DA SILVA. QUAL É A CONCEPÇÃO DO SEU NOME ARTÍSTICO?

XICCA - A concepção do meu nome veio realmente inspirado em Chica da Silva. Quando eu buscava inspirações para o meu nome Drag eu não fazia ideia do que colocar, mas sabia que não queria um nome vindo de outro país.  Então eu andei dando uma vasculhada pela internet e acabei chegando na história de Chica da Silva que foi a primeira Mulher Negra e ex-escrava (alforriada) que lutou por direitos iguais para todos. Indo contra a própria Coroa Portuguesa.  E olhe que isso em 1755 e querendo ou não, nós (LGBTQ+) nos dias de hoje também lutamos contra um sistema para mostrar que somos iguais. Então naquele momento eu tive a certeza que eu queria me chamar de Chica também.  O sobrenome "da Silva" eu aproveitei porque também sou Silva.

HILUX - DEIXA UMA MENSAGEM PARA ESSA NOVA GERAÇÃO DE DRAGS NA TERRINHA ALENCARINA.


XICCA - A mensagem que eu deixo é de você sempre mostrar a sua essência no palco. Não ter medo de fazer o diferente.  Se entregue de corpo e alma naquilo que você acredita. De empenhe é mostre sua arte. Nunca desistir nos primeiros obstáculos.  Nunca em hipótese alguma sua vida ou carreira de Drag desvalorize o trabalho de ninguém. E nunca esqueça: Humildade sempre . Saiba entrar de cabeça erguida e saia de cabeça erguida de qualquer casa.

POR TATIANA HILUX

PAIXÃO NACIONAL! ROMMEO ESCOLHE O MAIS BELO BUMBUM DE 2019


No domingo dia 24 de fevereiro o Rommeo, uma das maiores saunas masculinas do Nordeste, promove mais uma edição do Mister Bumbum Rommeo 2019.
Para participar o candidato tem que ter entre 18 e 40 anos e deve ter uma bunda média ou grande.
Todos os candidatos estarão usando máscaras já que o foco do concurso é o bumbum.

Robson é o atual detentor do título de Mister Bumbum Rommeo, conquistado ano passado
Confira as premiações:

1° LUGAR - R$ 500,00 + 1 MÊS DE ENTRADA FREE.
2° LUGAR - R$ 200,00 + 1 MÊS DE ENTRADA FREE.
3° LUGAR - R$ 100,00 + 1 MÊS DE ENTRADA FREE
As inscrições ainda estão abertas através do Whatsapp (85) 98827.6902

Serviço:
MISTER BUMBUM ROMMEO 2019
DATA: 24 de fev
A partir das 21:30h
Rua Meton de Alencar, 622 Centro - Fortaleza