quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

MULHER TRANS TEM SUA IDENTIDADE DE GÊNERO DESRESPEITADA AO PRESTAR QUEIXA POR AGRESSÃO EM DELEGACIA DE NITERÓI

Lua Guerreiro tem 24 anos e uma vasta cabeleira que cultiva desde 2015, quando iniciou a transição de gênero. O cabelo foi, como diz, "um marco" no processo, junto com o nome social. No último domingo, rasparam-lhe nacos de cabelo no Hospital Azevedo Lima, de Niterói, depois de ela ter sido golpeada na cabeça por um grupo de homens na rua a caminho de casa. Em seguida, o nome social de que tanto se orgulha foi desprezado pelos policiais que a atenderam na delegacia quando tentava prestar queixa da violência de que fora vítima. As autoridades, conta, recusaram-se a chamar Lua pelo nome que escolheu, usando o que consta em seu documento de identidade.
— São dois marcos da minha transição: o cabelo e o nome. E tudo isso foi desrespeitado. Ainda não quis olhar o quanto rasparam, não sei se quero ver. Saí do hospital e fui para a polícia e, lá, o nome que eu uso foi ignorado, mesmo eu dizendo que era meu direito. Foi uma experiência terrível — diz ao GLOBO Lua, que, por fim, desistiu de registrar a queixa na 76ª Delegacia da Polícia Civil de Niterói.

Na tarde desta terça-feira, acompanhada de testemunhas e de uma advogada que viu seu relato na internet, a roteirista e produtora de cinema foi à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância, na Lapa, para finalmente registrar a ocorrência. Ela relatou ter sido agredida após pedir um isqueiro a um vendedor de uma barraca na boêmia praça Cantareira, no bairro de São Domingos. Eram mais de 23h, e as agressões verbais, segundo Lua, terminaram em ataques físicos.
— Para ser sincera, não sei quanto tempo fiquei apanhando, não sei quantos homens eram. Eles se revezavam para me bater. Eu levantava, eles me davam rasteira por trás, e eu caía de novo. Fiquei desorientada, não tenho noção de como tudo aconteceu. Tinha sangue da cabeça aos pés.
Na ambulância rumo ao Hospital Azevedo Lima, a amiga que a acompanhava registrou em vídeo o primeiro desabafo da roteirista. Logo depois, já na emergência, Lua conta ter sido alvo de deboche pelos enfermeiros que a receberam.
— Faziam piadas sobre mim, me tratavam pelo outro gênero e acabaram até discutindo com minha amiga que criticou a falta de profissionalismo (da equipe de enfermagem). Eu levei pontos na cabeça porque bati a cabeça várias vezes, e não me fizeram um raio-x. Não sei se isso é normal, sabe? — questiona Lua.
Em seguida, ao chegar à delegacia, ela diz que deu de cara com o rapaz que havia iniciado as agressões, acompanhado de outros dois homens e de uma mulher. Reconheceu de pronto um dos agressores. Não sabe dizer quem eram os demais ("Não consegui ver o rosto deles enquanto apanhava", diz). Sentindo-se intimidada, ainda assim, deu início a seu relato para os policiais.
— O tratamento já vinha sendo desagradável, meus agressores estavam lá sorrindo, à vontade. Mas tudo piorou quando o policial pegou meu RG e viu que meu nome no documento era outro. Aí ele ficou transtornado. Eu expliquei que era meu direito usar o nome social e que os documentos oficiais devem trazer o nome de registro com o nome social ao lado, mas ele se recusava a ouvir — diz Lua. — Depois disso, me colocaram numa espera incessante. Os policiais ficavam passando, e eu ali toda machucada, dolorida.
Eram mais de 2h de domingo para segunda, e, conta Lua, os policiais assistiam à televisão ("Ironicamente, viam um programa sobre violência de gênero", diz). Ela teria questionado o motivo da espera e relata ter ouvido como resposta a frase: "Estamos ocupados".
— Eu disse a eles: 'Estou cansada, estou com dor'. E me falaram que a previsão de atendimento era de mais duas horas. Então desisti. Depois ouvi dizer que é uma tática muito comum usada pelos policiais para desencorajar o registro da queixa. Parece que eles costumam fazer isso para desestimular a denúncia mesmo — afirma.

Secretaria promete apurar caso

Sobre as acusações de transfobia que a roteirista teria sofrido no Hospital Azevedo Lima, a Secretaria de Estado de Saúde informou, em comunicado, que "repudia qualquer tipo de intolerância nas suas unidades e que a nova gestão tem como uma de suas principais metas a humanização durante o atendimento". "A SES informa que irá apurar com rigor a denúncia e agir de forma exemplar com todos os funcionários envolvidos", diz a nota enviada ao GLOBO.
A 76ª Delegacia de Polícia de Niterói não comentou as acusações de transfobia e informou apenas que "os agentes de plantão solicitaram a vítima que aguardasse atendimento, uma vez que todos os policiais estavam realizando outros registros naquele momento. No entanto, ela optou por ir embora informando que retornaria depois para registrar o fato".
A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio de Janeiro disse que a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância registrou a ocorrência nesta terça-feira e que a vítima foi encaminhada para exame de corpo de delito. Acrescentou: "Testemunhas também foram ouvidas e diligências estão sendo realizadas em busca de imagens de câmeras de segurança e informações que levem a autoria do fato. As investigações estão em andamento".
A Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente da Câmara Municipal de Niterói informou que vem oferevendo à Lua "apoio jurídico para a devida identificação e responsabilização dos autores desse ato covarde de barbárie". Presidente da comissão, o vereador Renatinho do PSOL lembrou que "o Brasil é o país onde mais trans morrem assassinadas no mundo", referindo-se a dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), segundo os quais 163 pessoas trans foram assassinadas no país em 2018.
Colaborou: Isabela Aleixo - Fonte; EXTRA

PRA SE JOGAR! CARNAVAL DE ARACATI COMEÇA NESTA QUINTA-FEIRA. CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

Serão cerca de 50 atrações que vão se apresentar durante 15 horas de shows por dia em Aracati e Majorlândia. 
A atração mais esperada é sem duvidas a cantora Anitta.

A festa vai contar  com a participação de Solange Almeida, Aldair Playboy, Luis Marcelo e Gabriel, Gabriel Diniz, Wallas Arrais, Sérgio Loroza, Serginho Pimenta Nativa, DJ Cris, Hungria, Thiaguinho e Felipão.

A folia começa no dia 23 de fevereiro, com a escolha do rei e da rainha do carnaval, e na quarta-feira (27) o bloco religioso Maranatha desfila na avenida. Na quinta (28), haverá o desfile dos tradicionais bloquinhos. 

Na sexta-feira, dia 1º de março, começam as apresentações dos artistas nos trios elétricos na avenida principal.
O encerramento será ao meio-dia da quarta-feira de Cinzas (6), com o cantor Felipão puxando o arrastão, com um show que vai fechar a folia na cidade.
Com informações Diário do Nordeste

PRA SE JOGAR! CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DO CARNAVAL DE FORTALEZA

Foi-se o tempo em que Fortaleza no carnaval era procurada somente para quem queria paz e sossego...Pra quem prefere ficar na capital cearense, tem folia para todos os gostos e bolsos. Confira:

Programação
A programação oficial do Carnaval de Fortaleza inicia na sexta-feira (01/03), no Aterro da Praia de Iracema, com a apresentação do grupo GhettoRoots, da cantora Jord Guedes, do Bloco Geração Coca-Cola e, fechando a noite, sobe ao palco o Bloco das Travestidas. No sábado (02/03), muito tambor agita o polo, com apresentação do cantor Zé Paulo, seguida pelo cantor Robson Moraes, pela Orquestra Solar dos Tambores e, por fim, pelo bloco-afro Olodum.
No domingo (03/03), as atrações do polo são Banda Casa Maré, Superbanda, Bloco Luxo da Aldeia e Bloco Eu Não Sou Cachorro Não com Os Alfazemas. Já na segunda-feira (04/03), o dia é de samba, com o grupo SambaDelas, cantora Mel Mattos, cantora Carla Cristina e, apresentando os sucessos de sua carreira, o cantor Diogo Nogueira. Por fim, as atrações de terça-feira (05/03) prometem animar a Praia de Iracema, com o Bloco Café Preto, apresentação do cantor Renno e, fechando com chave de ouro o Ciclo Carnavalesco 2019, sobe ao palco o projeto Troça Elétrica com a banda Nação Zumbi, Academia da Berlinda e Orquestra de Frevo Henrique Dias. No show da Troça Elétrica, o público ainda poderá conferir a presença de Bonecos de Olinda, de casal de passista de frevo e de cabloco de lança. A Troça elétrica é a festa carnavalesca promovida pela Banda Nação Zumbi que tem como objetivo levar a folia contagiante do carnaval pernambucano para todos os cantos do país.
O Ciclo Carnavalesco 2019 traz uma novidade para a Avenida Domingos Olímpio, a última atração de cada dia será um bloco tradicional de Fortaleza, com início de show previsto para meia-noite. No sábado (02/03), participam do cortejo vários maracatus, com show de encerramento do Bloco Luxo da Aldeia. No domingo (03/03), blocos e maracatus desfilam pela avenida, com encerramento de Renato Black e Banda. Na segunda-feira (04/03), é a vez do cortejo de cordões e blocos, com show do Bloco eu Não Sou Cachorro Não com Os Alfazemas. Na terça-feira (05/03), passam pela avenida os afoxés e as escolas de samba.
No polo Benfica, a festa acontece de sábado a terça-feira (02 a 05/03), das 9h às 17h, exceto na segunda-feira, quando a programação se estende até 22h. No polo, a primeira atração sempre é uma banda infantil, seguida por grupo de tambores, maracatus e blocos de rua.
O bloco Num Ispaia Senão Ienche anima todos os dias de Carnaval na Mocinha, de sábado a terça-feira (02 a 05/03), das 18h às 22h. A criançada não ficará de fora, o Passeio Público de Fortaleza recebe, de sábado a terça-feira (02 a 05/03), das 9h30 às 12h, uma programação carnavalesca infantil, com as bandas Aquarela e Pacote de Biscoito.
O Mercado dos Pinhões e o Mercado da Aerolândia continuam recebendo atrações durante o Carnaval, de sábado a terça-feira (02 a 05/03). No Mercado dos Pinhões, a programação segue das 18h às 22h, já na Aerolândia as atrações ocorrem das 17h às 20h, exceto na terça-feira, com início mais cedo, às 16h.

CHÁ DAS QUINTAS - OLGA DANTELY UMA DRAG QUEEN BRASILEIRA QUE FAZ SUCESSO NOS EUA

No chá das quintas de hoje recebo uma drag brasileira que mora em Miami, Olga Dantely.

HILUX - Prazer imenso em receber Olga Dantely para um chá das Quintas nessa véspera de Carnaval no Brasil. Olga, o que representa essa festividade em sua vida?

OLGA - Olga é nascida de um Carnaval, creio que a maioria das drags brasileiras nasceu em um sábado de Carnaval em blocos de Piranhas (lol). Desde pequeno eu me vestia e saia com os meninos da minha rua, mas já sentia que por o tamanco era mais emocionante para mim que para os demais. Ficava horas dublando canções com minha irmã com uma toalha na cabeça. Desfilei algumas vezes, a princípio como GoGo Boy e até que um dia LORNA WASHINGTON me maquiou e desfilei de drag.

HILUX - Você é um artista brasileiro que foi, viu e venceu na América do Norte e sabemos que não deve ter sido fácil. Qual foi seu maior louro na carreira de drag? E a valorização do artista brasileiro em terras do Tio Sam?

OLGA - Realmente não é fácil e nem era a intenção. Fui nadador e militar quando morava no Brasil e não imaginava um dia poder me sustentar como drag queen. Quando cheguei na América em 1999, por obra do destino cai na mão de artistas cubanos que me mostraram o mundo noturno e eu me apaixonei, mas como o idioma e tudo era muito novo, tive que começar do zero, limpando restaurantes, casas, etc. Aqui na Flórida participei de peças teatrais e concursos e fiquei sendo conhecida como a Brazilian Bombshell, por ser a única drag brasileira e mostrar algo que elas não poderiam fazer igual. Tampouco tinha pudor em tirar minha roupa e peruca e mostrar o homem que havia embaixo. Ganhei o Miss Flórida Plus em 2014 e a visibilidade aumentou. Brasil é um país muito querido e respeitado e isso traz a curiosidade das pessoas, mesmo com tantos problemas, ainda querem muito saber sobre o país.

HILUX - Tu tens uma cantora carro-chefe? De onde vem a inspiração para compor a personagem Olga?

OLGA - Creio que Olga é um conjunto de coisas. Mas poderia escrever uma palavra: ENERGIA. Nos últimos 20 anos muita coisa passou em minha vida. Uma grande montanha russa de emoções. Tive uma irmã assassinada no Rio de Janeiro e aprendi a ter força para fazer as pessoas felizes. Meus pais se divertem com minhas loucuras que mostro em câmera algumas vezes. Tina Turner é uma das minhas inspirações, por ter passado por tanto e nunca ter desistido. Meu carro chefe e Proud Mary onde faço as pessoas dançarem e liberarem a drag que há dentro de cada um de nós. Ponho vestido, peruca e dançamos o refrão principal.
E como “ Let it go”, do filme Frozen, onde faço tudo ao contrário. Uma drag gorda, negra, careca que faz uma princesa toda perfeitinha e no final fico quase pelado. Mostrando que somos humanos e que somos LIVRES.


HILUX - Comecei a te seguir de alguns meses para cá e já vejo sua enorme popularidade na web. Como você lida com a fama? E o uso das tecnologias?

OLGA - Há quase 2 anos comecei a trabalhar no melhor restaurante gay dos EUA, The Palace, na Ocean Drive. Há 31 anos ele celebra a arte de drags e é famoso por ter os melhores shows ao ar livre e com pessoas do mundo todo diariamente assistindo mais de 5 horas de shows. Latrice Royale saiu direto dáli para RuPaul Drag Race, imagina. A visibilidade que comecei a ter se tornou algo genial, e hoje tudo que fazemos se torna viral. Diariamente passo posando para fotos com transeuntes de diversas partes do mundo que querem um clique. Estou sempre preparado para uma palavra de carinho, um abraço e às vezes um simples sorriso que pode mudar o dia de alguma pessoa e até o meu próprio.

HILUX - Marcelo por Olga e Olga por Marcelo...

OLGA - Marcelo por Olga: Se deixar Marcelo fica na cama dormindo para sempre. Se sente sozinho, dificilmente socializa e se acha feio e gordo. Esconde-se atrás de mim para que seus dias sejam melhores. Cansou de tentar conhecer pessoas que não entendem que detrás da maquiagem e da barriga há um ser humano cheio de amor e com muita alegria por dentro.
Olga por Marcelo: LUZ!!! Olga Dantelly passou a ser minha energia maior, minha alegria e uma das minhas fontes de grana também. Com cada dia mais shows e visibilidade, os convites não param. O corpo cansa, mas a alma pede mais. É muito bom receber a energia do público toda vez que termina os shows e escuto que mudei o dia deles. Não tem preço.

HILUX - Você está prestes a vir ao Brasil em férias e a trabalho. Confere? Fala um pouco dos seus próximos passos.

OLGA - Em Maio estarei indo ao Brasil para as Bodas de Ouro dos meus pais, e assim aproveito para rever e trabalhar um pouco com o público brasileiro que muito me apoia e segue nas redes. Em 2016 fiz um Festival de Drags no Rio, com 21 drags, bailarinos e foi um sucesso. Desde então amigos, familiares e fãs pedem que eu faça outro. Esse ano estou produzindo um show diferente. Estou preparando um almoço com algumas das melhores drags do Rio. A maioria covers de cantoras famosas, onde o público estará almoçando e deleitando-se com Ana Carolina, Gal Costa, Elis, Adele, entre outras. Será na Turma Ok. Como o local só cabe 100 pessoas sentadas, criei 2 shows em distintos horários onde todos terão a oportunidade de ver um grande espetáculo de 2
Horas, comer, tirar fotos e se emocionar com as histórias e musicas.
Além disso, estou tentando fechar uma turnê pelo Nordeste, que seria um sonho. Além de mostrar meu trabalho, adoraria conhecer.

HILUX - Obrigada por sua atenção que você sempre empresta à minha pessoa e peço que deixe uma mensagem aos amigos que leram sua matéria, por favor.

OLGA - Como diria Walt Disney : Todos os sonhos se realizam. Sou prova viva disso tudo. Sonhe e faça acontecer. Abra sua mente e deixe coisas boas entrarem.
Obrigado Tatiana Hilux por todo o carinho sempre demonstrado e força para as Plus desse mundo.


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

TATIANA HILUX SERÁ DESTAQUE NO TRADICIONAL BLOCO DAS QUENGAS

Tatiana Hilux, nossa blogueira e atual Miss Brasil Glamour Plus Size foi convidada por Tbengston Martins, a rainha do Bloco das Quengas e ativista LGBT no Rio de Janeiro a ser destaque no carnaval carioca do Bloco das Quengas.

O Bloco das Quengas é a maior referência atualmente no carnaval de rua LGBT do Rio e nossa representante nacional do movimento Plus Size vai levar o seu melhor para o carnaval 2019 do Bloco das Quengas. Agradecemos o convite de Paulo Henrique Martins, o ator que dá vida à estrela Tbengston.

Concentração do Bloco das Quengas à partir das 16 horas.

SOBRE O BLOCO DAS QUENGAS


A Banda das Quengas,é formada por representantes e simpatizantes do grupo LGBTQI+, foi fundada em 1990, no Bar Brochado, e completa este ano 29 carnavais. Seu nome é uma homenagem à personagem da atriz Joana Fomm na novela Tieta, cujo bordão era “Quengaaaa!”.

A banda se reúne atualmente no Bar das Quengas, na Avenida Mem de Sá, onde chama a atenção dos pedestres e de quem passa pela rua de ônibus o varal de roupas íntimas pendurado no segundo andar do estabelecimento.


Da redação com informações: EBC

MAIS UMA TRAVESTI É ASSASSINADA NO CEARÁ

Antes de tudo, fica aqui o nosso repúdio, a alguns veículos de comunicação e páginas sobre assuntos policiais, que ainda hoje insistem em não respeitar a identidade de gênero de travestis e transexuais e não existe mais a "desculpa" de que é falta de informação, afinal o assunto é amplamente divulgado...

Na noite da última terça-feira (26) a travesti Ana Patricio de Lima, foi executada a tiros no bairro Alto São João em Pacatuba, região metropolitana de Fortaleza.

Ana foi encontrata sem vida a cerca de 30 metros de sua residência, com ferimentos de tiros na cabeça informou a Delegacia Metropolitana de Maracanaú, ainda segundo a polícia Ana não tinha antecedentes criminais.

NOTA PÚBLICA

A Coordenadoria Especial de Polícias Públicas para LGBT do Governo do Ceará através da Secretaria de Proteção Social,Justiça,Mulheres e  Direitos Humanos, vem por meio deste divulgar Nota da Secretaria de Segurança Pública sobre o assassinato da Travesti Ana ocorrido na noite dessa terça- feira:

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informa que a Delegacia Metropolitana de Pacatuba está com investigações em andamento, com o objetivo de capturar os responsáveis por um homicídio registrado na noite dessa terça-feira (26), contra uma travesti chamada "Ana". O crime aconteceu em Pacatuba, Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12). A vítima, cujo registro civil consta com o nome de Anacleto Patrício de Lima (40), sem antecedentes criminais, foi morta a tiros na Estrada João Cavalcante Filho, no bairro São João. Equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) realizaram buscas na região. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foram acionados ao local, onde foram feitos os primeiros levantamentos sobre o fato.

Denúncias

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na localização dos suspeitos. As denúncias podem ser feitas pelo número (85) 3101.3350, da Delegacia Metropolitana de Pacatuba. O sigilo e o anonimato são garantidos.

PROFESSOR BOLSONARISTA DA USP DIZ QUE LGBTS SÃO “ABERRAÇÕES” E TARADOS (AS)

A Faculdade de Direito da USP reprovou publicamente as declarações de um de seus professores, Eduardo Lobo Gualazzi. Ele havia distribuído um texto aos alunos elogiando a ditadura militar e afirmando que pobres são "minoria do submundo" e LGBTS, "aberração", além de "tarados e taradas". Celso Fernandes Campilongo, diretor em exercício da faculdade, afirmou que a USP "zela pela liberdade de cátedra e expressão" mas repudia "manifestações de discriminação, preconceito, incitação ao ódio e afronta aos Direitos Humanos"

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca mais um trecho do comunicado de Campilongo à comunidade: "é dever dos docentes, em consonância com a ordem constitucional, enfrentar estereótipos de gênero, raça, cor, etnia, religião, origem, idade, situação econômica e cultural, orientação sexual e identidade de gênero (LGBT), dentre outras, jamais incentivá-los".

Segundo Campilongo, "a liberdade de cátedra e expressão não pode se traduzir em abuso e desrespeito à diversidade". Para ele, "o respeito a todos, maiorias ou minorias, é valor inegociável. Vozes que, eventualmente, fujam dessas diretrizes não representam o pensamento prevalecente na Faculdade de Direito e merecem veemente desaprovação".
Fonte: Brasil 247

GAROTA G 2019 ACONTECE EM ABRIL

Na noite de terça-feira (26), o promoter Ciro Alencar divulgou o tema do Garota G Ceará 2019.

Claro que a cena transformista do Ceará já se agitou, anciosa para saber quem será a sucessora de Yakira Queiroz, Garota G 2018 e nossa atual Miss Brasil Gay Oficial.

Mas calma, pois Ciro ainda não revelou a data, por enquanto só podemos divulgar que será em Abril, após a quaresma.
Em conversa com Ciro até que tentamos "arrancar" mais detalhes, mas ele foi guerreiro e guardou o segredo. Rss

NO CARNAVAL DO RIO DE JANEIRO


Ciro Alencar e nossa Miss Brasil Gay Yakira Queiroz, estarão ao lado de vários artistas cearenses no desfile da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti.
A escola traz o samba enredo "O Salvador da Pátria" cuja figura central é o Bode Ioiô. Nossa Miss Brasil será destaque no último carro e fará um desfile histórico na escola carioca.

Confira:




terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

BUZINA DE PABLLO VITTAR JÁ TEM MAIS DE 450 MIL VISUALIZAÇÕES

Não tem pra ninguém... A rainha Pabllo Vittar lançou o clipe de sua aposta para o carnaval a música Buzina e em menos de duas horas já contabiliza mais de 458 mil visualizações em seu canal no Youtube.

Pabllo encarna uma heroína, que viaja em uma espaçonave para outros mundos e o efeito visual do clipe é maravilhoso, além da música grudar altomaticamente na nossa cabeça o que faz dela uma das maiores apostas para virar o hit do carnaval 2019.

O vídeo foi inspirado em filmes de ficção cientifica como "Barbarella" (1968).

"Tentamos beber bastante das referências da Britney (Spears), Pussycat Dolls, um pouquinho de K-Pop, que a Pabllo ama também. E agregar este tipo de coreografia a um universo meio que da Barbarella, um universo de outro planeta". Falou o coreógrafo Flavio Verner para o Metro Jornal. Confira e se jogue:
  

PORQUE ROUPA NÃO DEFINE GÊNERO! ATOR BILY PORTER ARRASA DE VESTIDO NO RED CARPET


"Menina veste rosa e menino veste azul " Nada disso.  Roupa não define gênero e o ator BILY PORTER deixou bem claro isso ao arrasar no tapete vermelho do Oscar, usando um smoking que termina em um vestido lindíssimo assinado pelo estilista Cristian Siriano.
FOI OU NÃO FOI UM BAFO?


Bily Porter é engajadissimo nas causas LGBTQ+ e já encarnou uma Drag Queen no todayshow. Confira:



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

FOTOGRAFIA DO CASAMENTO COLETIVO IGUALITÁRIO EM SÃO PAULO GANHA PRÊMIO INTERNACIONAL

Coincidindo com o início do julgamento do STF sobre a criminalização da homofobia, no dia 13 de fevereiro o fotógrafo Thiago Gimenes recebeu o prêmio internacional Wending Awards Photography – da Associação Inspiration – por uma foto que tirou durante a segunda edição do Casamento Coletivo Igualitário, promovido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.
Gimenes capturou o instante em que um casal de lésbicas celebrava o matrimônio. “No dia da votação sobre a criminalização da homofobia no STF, não tinha dia e data melhor para essa foto. Eu me emocionei muito, foi uma alegria ver a minha foto lá entre as melhores do mundo, me emocionei mais por ver aquele olhar, aquela foto que na verdade é um grito de orgulho, resistência e amor”, disse.
“Sobre essa premiação, é um capitulo à parte. Eu me associei ao Inspiration Photographers no final do ano passado. Eu ainda não havia ganhado nenhum prêmio nos concursos da entidade, até porque é uma das premiações mais concorridas do mundo, apesar de ser uma entidade brasileira”, contou o fotógrafo.
Sobre o Casamento Coletivo Igualitário 
Em 2017 o casamento coletivo igualitário contou com 39 casais em uma união de amor e liberdade. No ano seguinte, na segunda edição, mais uma vez um sucesso com 38 casais participantes e destaque na mídia nacional e internacional.
Sobre o Inspiration Photographers Award
A cada três meses, um painel de curadores especialistas seleciona as melhores fotos de casamento. Os fotógrafos de casamento mais premiados do ano no Inspiration Photographers concorrem ao prêmio anual Golden Lens International Award, segundo o site da Instituição.

LIVRO AFIRMA QUE QUATRO EM CADA CINCO PADRES DO VATICANO SÃO GAYS

Alguns dos clérigos mais antigos da Igreja Católica Romana que atacaram ferozmente a homossexualidade são homossexuais, de acordo com um livro que será publicado nesta semana.
Na obra "In the Closet of the Vatican" ("No Armário do Vaticano", em tradução livre), o jornalista e escritor francês Frédéric Martel afirma que 80% dos padres que trabalham no Vaticano são gays, embora não necessariamente sexualmente ativos.
Martel afirma que sua obra é um "relato surpreendente de corrupção e hipocrisia no coração do Vaticano". Em quatro anos de pesquisa, ele realizou 1.500 entrevistas. Entre seus interlocutores estão 41 cardeais, 52 bispos, 45 embaixadores papais ou oficiais diplomáticos, 11 guardas suíços e mais de 200 padres e seminaristas, segundo o site Tablet, especializado na cobertura sobre a Igreja Católica.
O livro, publicado pela editora britânica Bloomsbury, foi lançado na última quarta-feira (20) em oito idiomas e 20 países, coincidindo com o dia de abertura de uma conferência no Vaticano sobre abuso sexual, para a qual foram convocados bispos de mais de 100 países.
Segundo a Bloomsbury, o livro de Martel “revela segredos” sobre o celibato, a misoginia e conspirações contra o Papa Francisco — em uma “cultura clerical secreta que começa nos seminários juniores e continua até o próprio Vaticano”.
Fonte EXTRA

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

COM PLACAR DE 4 A 0 FAVORÁVEL A ENQUADRAR HOMOFOBIA COMO RACISMO, VOTAÇÃO É SUSPENSA

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu, nesta quinta-feira (21), o quarto dia de julgamento a respeito da criminalização de condutas discriminatórias contra a comunidade LGBTI. Até agora, o placar aponta 4 a 0 a favor de enquadrar a homofobia e a transfobia como crime de racismo, de acordo com informações de Rosanne D’Agostino e Mariana Oliveira, no G1.
Duas ações pedem a criminalização de todas as formas de ofensas, individuais e coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e/ou identidade de gênero, real ou suposta, da vítima.
Os dois relatores das ações, os ministros Celso de Mello e Edson Fachin entenderam que o Congresso Nacional foi omisso ao discutir o tema e que ocorreu uma demora inconstitucional do Legislativo em aprovar uma lei para proteger homossexuais e transexuais. Por isso, cabe ao Supremo aplicar a lei do racismo para preencher essa lacuna.
Pouco antes das 18h30, após quatro votos, o julgamento foi suspenso por Dias Toffoli, presidente do STF. Ainda não há data para a retomada da análise.
Argumentos
Em seus votos, os ministros do STF mostraram as razões que os levaram a votar favoravelmente ao enquadramento da homofobia e da transfbia ao crime de racismo.
Fachin
O ministro Edson Fachin argumentou que a proteção de direitos fundamentais permite ao Supremo a interpretação de crimes sem que haja interferência na atividade legislativa. Disse, ainda, que falta uma lei específica, o que inviabiliza o exercício de direitos da comunidade LGBTI.
Alexandre de Moraes
O ministro Alexandre de Moraes disse: “Há uma constante discriminação homofóbica e transfóbica arraigada em muitas pessoas que compõem a população. […] Esse estado de mora exige há 30 anos uma edição de lei por parte do Congresso Nacional”.
Barroso
Luís Roberto Barroso ressaltou: “Não escapará a ninguém que tenha olhos de ver e coração de sentir que comunidade LGBT é grupo vulnerável, vítima de preconceitos e de violência”.
Celso de Mello
Na quarta-feira (20), Celso de Mello havia afirmado que há “omissão” e demora inconstitucional por parte do Poder Legislativo ao não votar a criminalização da homofobia. Para o ministro, “mostra-se indispensável que o Estado proteja os grupos vulneráveis”.
Fonte: REVISTA FORUM

CHÁ DAS QUINTAS - EDUARDA SKARANZE


Nossa convidada para um chazinho hoje é Eduarda Skaranze..


HILUX - Primeiramente seja bem-vinda, tem uma Skaranze se montando é muito gratificante, a Fernanda é sempre muito dedicada. Fala pra gente do portal Onix, como foi sua primeira montação.

EDUARDA SKARANZE - Obrigada pelo carinho, desde já agradeço por estar participando desse diálogo com você Tatiana Hilux❤️. Bom Minha primeira montação de qualidade foi para o mundo miss, onde para mim foi um grande desafio, pois logo fui selecionada para participar de uma experiência incrível que foi concorrer um concurso no qual era uma grande seletiva para o concurso top gay Ceará. Dentro desse envolvimento tive que adquirir novas experiências, mudanças de hábito e o mais difícil para mim era viver uma miss. O concurso passou, não obtive bons resultados pela minha inexperiência, mais adquiri o principal de tudo isso, o conhecimento. Mas a primeira montação de fato, foi só um teste, pois um amigo estava começando a maquiar e queria me usar como modelo, foi um sucesso. Desde esse dia eu comecei a me olhar com outros olhos, conheci outro lado meu e foi maravilhoso.

 HILUX - Estive no júri de um concurso onde você foi revelada e realmente impressionou. Qual é seu objetivo nas passarelas?

EDUARDA - Meu objetivo é levar a arte transformista com uma junção de beleza, bom gosto e qualidade para as passarelas nacionais e internacionais. Pois sei que todas as seletivas que eu tenho que passar para poder chegar lá, me fará forte para cada vez mais orgulhosamente representar o meu estado.

HILUX - Família é um elo muito importante na vida. Como a sua se comporta em relação à sua personagem?

EDUARDA - A aceitação veio aos poucos. Até mostrar que somos dignos de respeito leva algum tempo, para mim foi mais difícil, pois muito cedo perdi minha fã número 1, a minha mãe. Onde era todo meu alicerce, meu Porto Seguro. Mas eu tive pessoas que sempre me apoiaram muito, uma amiga de infância e o meu amigo que se tornou um grande maquiador, eles foram fundamentais para todo o processo de me tornar quem eu sou hoje.

HILUX – Qual é seu posicionamento perante aos atos de violência contra a pessoa LGBTQ?

EDUARDA - Na atualidade lutamos por uma grande causa, a criminalização homofobia, onde milhares de homossexuais sofrem com esse tema, muitos perdem até mesmo a própria vida, apenas por terem uma orientação sexual que difere diversos gêneros. Por séculos a sociedade julgou ser a correta. É uma violência completamente gratuita que vivemos, pois a opção sexual de alguém, que não interfere na vida alheia, não deveria ser motivo para que alguém decidisse que ela não pode viver. É preocupante o fato de essas pessoas oprimirem, maltratarem e até matarem alguém por causa da sua orientação sexual.

HILUX - Fala um pouco sobre sua vida no dia a dia sem make up.

EDUARDA – Prazer. Na vida pessoal me chamo Eduardo, estou me preparando para o meu vestibular, pois quero muito me graduar na área de pedagogia onde futuramente pretendo atuar, lecionando.

HILUX - Qual será seu próximo passo no mundo MISS?

EDUARDA - Hoje me sinto mais preparada e com todas as experiências adquiridas oficializei a minha ida ao Miss Gay Ceará 2019, pois me sinto pronta para ser a representante do meu estado, concurso este que vem levando a 36 anos a beleza transformista mundo a fora. Aproveitando o momento quero agradecer toda a família Skaranze, que faz parte da minha preparação para a coroa estadual.

HILUX - Deixe-nos uma mensagem motivando suas seguidoras e fãs.

EDUARDA SKARANZE - Quero falar para todas as pessoas e admiradores do meu trabalho uma frase pequena mas com uma motivação enorme que é: Tudo só depende de você mesma!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

STF MANTÉM DECISÃO QUE OBRIGA BOLSONARO A PAGAR INDENIZAÇÃO E SE RETRATAR EM REDE SOCIAL

Quino
O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal ( STF ), decidiu manter a condenação por danos morais,contra o presidente Jair Bolsonaro no caso em que o então deputado disse à colega Maria do Rosári o (PT-RS) que ela não merecia ser estuprada.
A Justiça havia determinado, em 2015, que Bolsonaro deveria pagar uma multa de R$ 10 mil por ofensas disparadas contra a deputada. O presidente recorreu, mas o ministro Marco Aurélio Mello decidiu manter a condenação imposta pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). A decisão do STF cabe recurso. Procurada pela reportagem, a assessoria do presidente ainda não se manifestou sobre o assunto.
O episódio envolvendo Bolsonaro e Maria do Rosário aconteceu em 2014, tendo ganhando ampla repercussão na mídia. O então deputado disse, na época, que não estupraria Maria do Rosário pois ela não mereceria, “porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece”.
A decisão do ministro Marco Aurélio foi tomada última quarta-feira (14) e já está disponível para consulta no site do STF. O ministro entendeu que a imunidade para presidentes da República prevista na Constituição não se encaixa nas situações de esfera civil.
Além de negar o recurso da defesa de Bolsonaro, o ministro do Supremo também manteve a determinação para que o presidente publique uma retratação em jornal de grande circulação, em sua página no Facebook e no YouTube. A ação judicial contém o trecho de uma fala pública de Bolsonaro onde ele afirma que “jamais pedirá desculpas à deputada Maria do Rosário”.
Em nota, Maria do Rosário disse que considera a decisão "mais uma vitória de todas as mulheres do Brasil". Ela afirma que seguirá lutando para que " nunca mais uma mulher seja alvo de ataques ou desrespeitos machistas, na política ou em qualquer outro lugar".
"A decisão do Ministro Marco Aurélio ocorre no momento em que o Brasil encontra-se mais uma vez profundamente abalado pela violência contra a mulher. Em 2019, já registramos cerca de 170 feminicídios. Por isto, considero que manter a condenação de Bolsonaro é simbolicamente derrotar cada agressor de mulheres deste país e dizer: não ficarão impunes" , diz a nota.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

APOSTA PARA O CARNAVAL! SIVERO PEREIRA LANÇA CLIP DA MÚSICA VEM. CONFIRA

O ator e diretor Sivero Pereira, lançou neste sábado (16), o clipe da música VEM, que tem um ritmo contagiante e é uma das apostas para hit do carnaval 2019.

No clipe Gisele Amodóvar, encontra um bofe em um banheirão e os dois protagonizam cenas calietes. O clipe conta com as participação de ator Maycon Feijó e do elenco das Travestidas e percorre vários cenários da capital cearense. Confira: