O PORTAL LGBTI+ DO CEARÁ

O PORTAL LGBTI+ DO CEARÁ

domingo, 3 de março de 2013

ESTRELANDO!

LYHANNA SARON...
É admirável como o tempo faz bem para nossa eterna Top Gay Ceará 2010, a cada dia a bela esta mais bonita e feminina e segundo a mesma, está se preparando para uma nova fase em sua vida.
No domingo  24 bem humorada ela posou de Garota Coca Cola para a nossa câmera.

DIRETO DO TÚNEL DO TEMPO...
A apresentadora LENA OXA, postou em seu Facebook um recorte de jornal com anuncio de seu show na boate Casa Branca publicado no Jornal O Povo, o ano era 1986 e Lena ainda era conhecida como TINA AZEVEDO.
NOSSOS PARABÉNS...
A Musa Gay Ceará IVYNA DHYAS, que tem representado maravilhosamente o concurso Top Gay Ceará, sempre com sua faixa ela é vista nos concursos de bairro e outros eventos nas noites alencarinas. Com toda certeza um exemplo a ser seguido. Fica a dica..

GLITTER 
Já tem causado muita expectativa a estréia da nova temporada do Glitter, quadro do programa ÊNIO CARLOS na TV Diário e o motivo é o anunciado duelo entre SATYNE HADDUKAN e YOHANNA BRACCIO.



RAYANNA RAYOVACK está de volta ao comando da boate Divine após 4 meses e deve matar a saudade de seus fãs.
A diva assume o microfone da casa nos dias 08,09 e 10 e apresenta como atrações LABELLE HADDUKAN E KYARA HILTON.


CAUSANDO!
O furacão ALEXANDRA BITTENCOURT, causou mais uma vez em seu Facebook ao postar uma foto dando um beijo ardente em um belo rapaz europeu.
A foto claro já recebeu dezenas de comentários e compartilhamentos.
Muitos dos comentários são de marmanjos se dizendo enciumados...

É PRECISO QUE SE DIGA! - ESTAMOS DE VOLTA AO PASSADO?

A imagem mostra o público lotando o concurso, uma das pedras ao meio e as cadeiras vazias após o ataque.

Se pararmos para escutar histórias de artistas que foram precursores da cultura LGBT em nossa cidade, o que nós ouvimos, nos deixa incrédulos, pois vivemos em um tempo de tantas vitórias e conquistas contra a homofobia e o preconceito, é difícil imaginar concursos de beleza gay sendo fechados pela polícia, com seus organizadores e participantes sendo escoltados em fila indiana para a delegacia mais próxima como criminosos comuns e em tempos atrás era isso que acontecia.
Pamela Anderson e Yasmin Ravelly

Mas infelizmente, na noite do último sábado no bairro do Novo Mondubim, uma realidade parecida com essa nos atingiu como uma “bofetada”, mostrando que o mundo aonde vivemos não é aquele que pensávamos, de glamour e beleza em que podemos expressar nossa sexualidade sem medo.
 Durante a noite, pedras foram arremessadas no palco e em direção ao público, forçando as apresentadoras Yasmin Ravelly e Pamela Anderson, a pararem o concurso e pedirem que a organização acionasse a polícia, que por sinal não apareceu, enquanto isso o público e os membros da comissão julgadora tentavam se proteger a qualquer custo das pedras arremessadas por algum covarde, ou covardes que se escondiam nas sombras de um quintal vizinho.
Quando tudo parecia estar sanado, eis que o DJ “heterossexual”, incomodado com sua própria falta de traquejo com o som, para resolver problemas que nós que fazemos eventos sabemos que eventualmente acontecem com os CDs, se achou no direito de “sacar” do microfone e destratar uma das apresentadoras com palavras de baixo calão, como se o fato de ele estar ali segundo o mesmo “de graça” lhe desse o direito de agredir verbalmente uma artista como Yasmin Ravelly, que empresta sua imagem em prol de eventos que procuram promover a diversidade em nossa cidade, muitas ou quase todas às vezes sem cobrar nada em troca, além de respeito por seu trabalho, à mesma com toda a razão saiu do palco e deixou o evento, que claro em respeito ao publico que pagou a entrada e as candidatas que investiram no sonho de se tornarem a Miss Gay daquele bairro, foi levado até o final e apresentado por Pyetra Rielloon, Roberta Layser e Monick Scaranze.
Pyetra Rielloon ao lado da vencedora  Ryagyla Pamela D Cicarelly de Monick Skaranzze e Roberta Layser
TRISTE REALIDADE
É preciso que se deixe claro aqui, a dificuldade que encontra qualquer um que tente realizar um evento cultural LGBT em nossa cidade.
Não há verba de incentivo do poder público voltada a esses eventos, que visam promover a cultura LGBT e se até o ano passado podíamos ver pessoas ligadas à prefeitura de Fortaleza nos eventos, hoje nesses dois primeiros meses do ano nem isso.
O que esperamos é que o poder público comece urgentemente a exercer o seu papel e saia das salas para vivenciar a realidade de nos gays, lésbicas e travestis, que sem verba e sem incentivo algum, com dinheiro de nosso próprio bolso lutamos para promover a diversidade em nossa capital e falo não só dos organizadores dos concursos, mas também de candidatas e artistas que emprestam sua imagem para fazer um trabalho que muita gente recebe salário para fazer e não o faz.
Que o que aconteceu na noite de sábado 02 de março de 2013 no Novo Mundubim, sirva de alerta para que nossos “representantes” encarem os concursos de beleza gay como um instrumento em prol da visibilidade sexual na luta contra o preconceito, e saiam de seus gabinetes para juntar-sem a nós, vivenciando a realidade do que acontece nos bairros de nossa cidade, afinal todo mês o dinheiro de nossos impostos está indo para seus bolsos e isso não será favor nenhum!