quinta-feira, 19 de setembro de 2019

CHÁ DAS QUINTAS COM ALEXANDRE ZEUS, TURMA OK

OPA ainda da tempo de servir nosso chazinho, afinal ainda é quinta-feira.

HILUX: Meu convidado de hoje chama-se Alexandre Zeus e é o atual presidente da Turma Ok... Ele falará um pouco sobre sua carreira artística e sua trajetória na Ok. Seja bem-vindo, Alexandre, você não sabe como tem artista daqui do CE interessado em fazer shows na Turma Ok! Fale um pouco sobre como é ser o cabeça desse espaço tão querido...

Alexandre Zeus: Boa noite a todos. Fico feliz em participar deste site! A Turma Ok se tornou parte da minha vida desde 2010. Eu acabei me envolvendo, não só frequentado, mas assumindo atribuições de ajuda e acolhimento a todos que nos procuravam. Em seguida, participei pela 1a vez do concurso Mister Ok, no ano de 2015, ficando em 3o lugar. Meu trabalho com a família Ok seguiu e em 2016 participei novamente do concurso, contemplando o meu Título de Mister 2016. Quanto à presidência já havíamos sido convidados para assumir tão grandiosa atividade, porem as responsabilidades pessoais e familiares sempre muito intensas em nossas vidas, me impediam. Eu assumi em abril deste ano com o fim do mandato do antigo presidente que estava sem interesse em continuar e por fazer parte da diretoria do conselho. Reza em estatuto, que na ausência do presidente, assume o presidente do conselho e desta forma assumi e estou desenvolvendo metas desafiadoras em prol de alcançar sustento, apoios e parcerias.

HILUX: Como foi a emoção no seu ano ao vencer o concurso Mister Ok?

 Alexandre Zeus: Foi maravilhosa, na verdade é um grande evento, onde precisamos de muitos braços de apoio, pois apresentar traje típico, com cenários, bailarinos e traje de gala, são critérios extremos a seguir para contemplar as melhores notas e fazer parte da história da Turma Ok é uma realização.

HILUX: Amizades e trabalho às vezes não é fácil conciliar. Como você lida com os egos e a arte do mundo LGBTQ?

 Alexandre Zeus: Nada fácil realmente. Busco desenvolver em tudo que me proponho e não será diferente na Turma Ok. Quanto aos egos, não dou importância, até por que nada se baseia em egos. Sou social, educado e respeito a todos que passam pelo meu caminho.

HILUX: A turma ok é um baluarte de resistência e por que não dizer militância da diversidade. Fala um pouco sobre a história dessa casa, por favor.

Alexandre Zeus: Turma Ok é uma grande realidade de resistência desde 13 de janeiro de 1961, há exatos 58 anos. Extremo importante este legado, onde o amor está sempre presente. Amor à arte, amor ao próximo, sempre desenvolvendo filantropia com recursos próprios e de todos que nos apoiam (sócios, amigos, família). E neste momento de nova gestão, conseguimos com muita luta adequar nosso estatuto para buscar os incentivos públicos para desenvolver os projetos sociais de apoio a toda comunidade LGBTQI+ e sociedade carente.

HILUX: Zeus by Alex... Fora dos palcos e holofotes você exerce outra atividade paralela. Como é sua rotina fora da Ok. Fala um pouquinho pra gente...

 Alexandre Zeus: Sou executivo de negócios de uma grande multinacional de SP, atuo em sistema home office, atendendo clientes do RJ e ES. Não é nada fácil, por que a Turma Ok necessita MUITO de todo um suporte administrativo, financeiro e comercial. O maior desafio é encontrar pessoas disponíveis para desenvolver um trabalho preciso, eficiente e principalmente comprometido.

HILUX: Ambições saudáveis são sempre louváveis. Quais são os planos para a querida Turma Ok com sua liderança?

Alexandre Zeus: Conforme respondido nas demais acima, são inúmeras. Nos tornar na execução de apoio à comunidade LGBTQI+ em tudo que tange apoio social, inclusão, sociabilidade, recursos de apoio de desenvolvimento profissionalizante, médico e oficinas agregando a nossa sociedade todo um diferencial de ajuda e apoio.

HILUX:.Agradeço demais sua amizade, disponibilidade e atenção e peço que digite suas considerações finais a todos os leitores do site Onixdance.

Alexandre Zeus: Eu que agradeço pela oportunidade, não só a você Tatiana, mas aos seus seguidores e convido todos a desfrutar de nosso palco e venham fazer parte da família Turma Ok. Serão sempre bem-vindos! Bjs e carinhos a todos.

MC LAN MANDA EXPULSAR MODELO TRANS DE SET DE GRAVAÇÃO: 'NÃO VOU GRAVAR COM ESSE TRAVECO'

A modelo trans, Alessandra Tavares, acusou o MC Lan, do famoso feat. com Lexa "Sapequinha", de ter xingado e expulsado ela de um set de gravação. Entenda como tudo aconteceu:
Em entrevista ao canal do Youtube da apresentadora Léo Áquila, a modelo transexual Alessandra Tavares revelou ter sofrido transfobia durante gravação de videoclipe do funkeiro MC Lan em 2017. 
Segundo a modelo, ela havia sido convidada para fazer parte do elenco de modelos e dançarinas de um clipe recente do cantor, e quando chegou ao local da gravação, viu que não era bem-vinda: "quando coloquei o pé no set de gravação, percebi que havia um alvoroço por parte do cantor. Todos acharam estranho, já que não havia contado a ninguém que era trans”, explicou Alessandra. Sem citar o nome de Lan, a modelo explicou que foi ofendida por termos preconceituosos como "traveco" e por diversas vezes ouviu o MC dizer que não gravaria com ela.
O clipe sobre o qual a modelo estaria falando, não foi revelado, mas acredita-se que seja um produção de KondZilla, quem costuma ser responsável pela maioria dos trabalhos audiovisuais do funk paulistano. As cantoras Lexa e Pabllo Vittar, deixaram de seguir o Mc nas redes sociais. Após a repercussão do vídeo, Lan usou seu Instagram para se pronunciar. O cantor declarou ser inocente das acusações e que também sofreu preconceito em sua carreira além de destacar que sempre apoiou o movimento LGBT.


Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por MC LAN NOVAMENTE 🇧🇷 (@mclan) a
Fonte:folhavitoria

POR 18 VOTOS A 12 BANCADA "EVANGÉLICA" É DERROTADA E PARADA LGBT ESTÁ NO CALENDÁRIO OFICIAL DO ESTADO


De autoria do deputado Elmano de Freitas (PT), o Projeto de Lei (PL) Nº 388/19, foi aprovado em plenário da Assembleia Legislativa do Ceará. Apesar dos vários ataques feitos por parlamentares a população LGBT, a bancada “evangélica” foi derrotada por 18 a12.


Agora a Parada pela Diversidade Sexual do Ceará está oficialmente inserida no calendário oficial do estado e o dia 19 de setembro se torna uma data histórica para o movimento LGBT.
Em breve vamos divulgar a listas dos Deputados que votaram contra e favor, afinal é muito importante sabermos quem é quem.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

APRESENTAÇÃO PARA A IMPRENSA DO MISTER GLOBAL 2019 TEVE GATOS DE CUECAS

Na apresentação de imprensa do Mister Global 2019, os candidatos viraram a cabeça dos fãs em um desfile de cuacas para a marca QuickSilver.
Confira alguns dos gatos:

























terça-feira, 17 de setembro de 2019

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 15ª COPA DA VISIBILIDADE LÉSBICA

O Projeto Arte de Amar, anunciou parceria com a Doritos para a realização da 15ª edição da Copa da Visibilidade Lésbica, um campeonato totalmente gratuito que visa vizibilizar e integrar a comunidade de mulheres lesbicas através do esporte.

Na Fan Page do projeto, a presidenta do Arte de Amar, comemorou a conquista e o apoio da gigante Doritos e a realização da União do Povo de Santa Edwiges.

O Campeonato está inserido dentro do Projeto Esporte Colorido criado por Mestre George. As inscrições estão abertas pelo fone: (85) 98513.5344.


HOMEM PAGARÁ R$ 10 MIL A ATIVISTA LGBT POR CHAMÁ-LO DE "VIADO" E "BICHONA"

Por chamar um ativista LGBT de “viado”, “bichona” e dizer que ele “tem cara de drogado”, um homem terá que pagar indenização por danos morais de R$ 10 mil. A decisão, do último dia 9, é do 1º Juizado Especial Cível de Nova Iguaçu (RJ).

Em fevereiro, o ativista LGBT Felipe Resende comemorou, em sua página no Facebook, o voto do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Edson Fachin pela criminalização da homofobia e da transfobia. “2 x 0 COMUNIDADE LBTQI+ X BOLSONARO”, postou Resende.

Na publicação, Edson Siqueira comentou: “É DESSA VEZ OS VIADOS ESTÃO GANHANDO”. A partir daí, teve início uma discussão entre os dois, na qual Siqueira chamou Resende de “bichona” e disse a ele “VOCÊ INFELIZMENTE ALÉM DE VIADO TEM CARA DE DROGADO”.

Felipe Resende moveu ação de indenização por danos morais, alegando que Siqueira ofendeu sua orientação sexual em um perfil público, seguido por mais de 13 mil pessoas. Em sua defesa, o réu afirmou que não proferiu ofensas, apenas comentou o voto de Fachin no caso.

A juíza Rita de Cassia Rodrigues dos Santos Garcia disse que ficou claro que Siqueira tinha a intenção de ofender Resende. Considerando que o ativista tem mais de 13 mil seguidores, as expressões preconceituosas usadas pelo réu lhe causaram constrangimento público, avaliou a julgadora.

“A sociedade vive um momento em que se exacerba o valor de certas formas de expressão, entretanto, a conduta que expõe o outro a constrangimento ou desfaz do que lhe é caro -qualquer que seja a área atacada-, tal qual a que ataca pessoas públicas com desrespeito à função social que exerçam, é reprovável, e não pode ser estimulada à multiplicação, devendo ser respeitada a individualidade e o pensamento”, analisou Rita de Cassia.

Clique aqui para ler a íntegra da decisão
Processo 0017445-48.2019.8.19.0038
Fonte:conjur.com.br

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

MULTIDÃO PARTICIPA DE ATO EM REPÚDIO AS DECLARAÇÕES HOMOFÓBICAS DE PROPRIETÁRIO DE PIZZARIA NO CRATO


Fotos desta matéria: Wagner Pereira

“...Tem que acabar com os viados, matar estes viados tudim” (SIC), o trecho é de um áudio do empresário Francisco Martins, dono da pizzaria Tutti Pasta em Crato. O áudio com declarações e ameças homofóbicas viralizou principalmente através de grupos de Whatzapp e claro causou indguinação.

Ao tomar conhecimento da gravidade da mensagem a ACEDI ( Associação Caririense pela Diversidade e Inclusão) divulgou uma moção de repúdio ao pronunciamento racista e homofóbico do empresário e convocou a população para um beijaço em frente a pizzaria.
O ato contou com uma grande presença de público e reuniu na Praça da Sé em frente a pizzaria Tutti Pasta no Crato, estudantes, professores, representantes de entidades LGBT e a população em geral.
A nossa equipe, o professor Gilney Matos vice presidente das entidades ACEDI e ADACHO falou sobre a importância da manifestação:


Realizamos ontem um beijaço LGBT em repúdio ao ato Homofobico e Racista do proprietário do Tutti Pasta, Crato CE  e em celebração ao  Combate à LGBTfobia na cidade de Crato. O ato político foi acompanhado de falas de estudantes, professores e entidades contra o preconceito em favor dos LGBTs,  Direitos Humanos e promoção da Cultura de Paz. Lembrar desta data 15 de setembro será de uma grande importância de conquistas, sempre será uma forma de luta e manter vivo nosso ativismo LGBT. Isso mostra como os movimentos sociais estão sempre à frente e pressionando o Estado e a sociedade civil por mudanças de atitudes e pensamentos retrógrados.
Confira fotos do ato:










CONFIRA A MOÇÃO NA ÍNTEGRA:

MOÇÃO DE REPÚDIO AO PRONUNCIAMENTO RACISTA E HOMOFÓBICO DE FRANCISCO DAS CHAGAS FARIAS MARTINS (PIZZARIA TUTTIPASTA)

 A Associação Caririense pela Diversidade e Inclusão ACEDI e Associação de Defesa, Apoio e Cidadania dos Homossexuais do Crato ADACHO. Vem por meio desta nota repudiar os PRONUNCIAMENTO RACISTA E HOMOFÓBICO DE PIZZARIA TUTTIPASTA (FRANCISCO DAS CHAGAS FARIAS MARTINS) segundo Áudio circulando nas redes sociais o dono do estabelecimento “tem que acabar com viados matar estes viados tudim” vale salientar que a LGBTfobia é crime no Brasil. Ademais, no dia 13 de junho do corrente ano, o Supremo Tribunal Federal determinou que “Até que sobrevenha lei emanada do Congresso Nacional destinada a implementar os mandados de criminalização definidos nos incisos XLI e XLII do art. 5º da Constituição da República, as condutas homofóbicas e transfóbicas, reais ou supostas, que envolvem aversão odiosa à orientação sexual ou à identidade de gênero de alguém, por traduzirem expressões de racismo, compreendido este em sua dimensão social, ajustam-se, por identidade de razão e mediante adequação típica, aos preceitos primários de incriminação definidos na Lei nº 7.716, de 08/01/1989...” Como o motivo exposto pelo FRANCISCO DAS CHAGAS FARIAS MARTINS, entendemos que se trata de um caso de homofobia nos termos desta citação da decisão do Supremo Tribunal Federal, podendo se enquadrar nos termos do art. 20 da Lei nº 7716/1989 Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

 Pronunciamentos de ódio e violência para com as pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, tem sido uma prática recorrente e lamentavelmente reforçada por iniciativas e políticas e sociais como essas adotadas pelo dono do estabelecimento e merece o repúdio e a reprovação por parte de toda sociedade. “Achamos justa toda forma de amor!” Crato 13 de setembro de 2019

CONFIRA MAIS IMAGENS DO ATO: